Dança do Ventre

Origem da Dança do Ventre



A dança do ventre é uma mistura de sensualidade e misticismo que vem conquistando cada vez mais adeptas no ocidente. Mas sua origem é bem controversa.

Não há documentos que comprovem a dança antes do século XX. Mas, como muitos sabem (ou imaginam), há indícios de que a dança do ventre teria raízes no antigo Egito.

Também existem vestígios da dança na Índia e em outros países africanos, antes mesmo de tornarem populares nos países árabes.

Mesmo com as controversas, a dança do ventre é famosa por ser executada em várias regiões do Oriente Médio na Ásia Meridional.

A dança do ventre é uma dança que tem movimentos base sinuosos, semelhantes a uma serpente e tem forte ligação com a essência feminina.

Seus movimentos eram exclusivamente ensinados às mulheres, passando de geração para geração, deixando os homens de fora do cerimonial, por motivos óbvios. 

Além de evocar a feminilidade e sensualidade, também tinha a finalidade de preparar a mulher, por meios de ritos religiosos dedicados às deusas, para tonarem-se mães. Como se fosse uma “preparação” do ventre.

No entanto, foi no final do século XVIII que a dança do ventre foi revelada no ocidente. Isso teria ocorrido durante a invasão de Napoleão Bonaparte ao Egito em 1798.

Os orientalistas que acompanhavam o imperador francês deram o nome de “Danse du Ventre” à coreografia exótica executada pelas bailarinas do Cairo.

Mas logo a dança passou a ser considerada indecente e foi fortemente reprimida por ser considerada provocante e impura para os padrões ocidentais. Com isso, durante muito tempo, a dança do ventre passou a ser associada à prostituição, sendo distanciada da sua origem ritualística.

A dança do ventre é composta por movimentos vibratórios, de impactos, ondulações e rotações que envolve o corpo como um todo.

A dança tornou-se popular no Brasil no século XXI, apresentando-se como uma mistura de feminilidade e religiosidade. Essa dança conquistou muitos praticantes em nosso país, principalmente após a exposição em uma novela que foi transmitida em horário nobre na televisão.

Só para saber: embora pareça que a dança tinha sido modismo da época, o Brasil tem algumas das melhores bailarinas de dança do ventre do mundo, que fazem apresentações no Brasil e no exterior.

Toda essa peregrinação colaborou para que a dança do ventre sofresse muitas evoluções, incluindo alguns movimentos do balé clássico, porém mantendo a sua essência.

Características da Dança do Ventre



Tecnicamente, a dança traz movimentos marcados pelas ondulações abdominais, de quadril e tronco separadas ou combinadas com ondulações de braços e mãos, vibrações conhecidas como “shimmies”, batidas de quadril, entre outros.

Atualmente existem três estilos que se fundem na dança do ventre.

  • Egípcio - movimentos sutis, com tremidos, deslocamentos simplificados, com adaptações do balé clássico.
  • Americano - movimentos intensos de quadril, com deslocamentos mais elaborados, adaptados para shows, com utilização de véus e movimentos do jazz.
  • Libanês - movimentos amplos e informais, com shimmies e deslocamentos simplificados.


  • Músicas:

Oul Tani Keda”, Nancy Ajram (música moderna)

Dar Al Habaib”, Ashraf Zakaria (música clássica)