Bolero

Origem do Bolero

bolero

Quando se fala na origem do bolero podemos encontrar diversas versões sobre sua origem. Vamos conhecer algumas delas?

1- Há que diga que o bolero surgiu na Inglaterra, passou pela França e se fortaleceu na Espanha com nome bem diferente do que conhecemos hoje: danza e contradanza.

2- A outra versão é que o bolero veio do fandango, uma dança espanhola de origem árabe surgida no século X e era conhecida como bolero de algodre.

Esta é uma dança em que a parceria é composta por três pessoas, sendo um rapaz e duas moças. Embora um tanto diferente do bolero que conhecemos hoje, conseguimos notar algumas semelhanças em alguns passos.

O bolero de algodre pode ser bem interessante para quem gosta de conhecer novas culturas. Encontrei um vídeo para que você possa conhecê-lo um pouco melhor - veja aqui.

3- Também existe a teoria que bolero vem de volero (voar) e boletas, que são pequenas bolinhas presas aos vestidos das dançarinas, que pareciam voar enquanto dançavam.

Bom, emboras as três teorias abordam a origem do bolero, podemos notar que todas elas nos levam a entender que ele possui raízes espanholas.

E qual dessas teorias você considera a real?

Independente de qual delas seja a verdadeira, o fato é que o bolero é uma delícia de se dançar e é marcado pelo seu romantismo. E agradecemos a Espanha por isso!

O primeiro bolero internacional foi o "Aquellos Ojos Verdes", composto pelo cubano Nilo Menéndez, em 1929. Mas “Besame Mucho”, composto por Consuelo Velásquez e interpretado por diversos nomes da música internacional, ainda é considerado o mais célebre dos boleros e continua embalando muitos dançarinos e amantes até hoje.

Características do Bolero

O bolero que conhecemos hoje tem sua formação principalmente em Cuba, em meados de 1885, e em outros países da América Central como Porto Rico, México e República Dominicana. O tradicional, “dois pra lá, dois pra cá” é sua característica principal, dançado de forma lenta e simples.

No Brasil, mais especificamente no Rio de Janeiro, o bolero adquire movimentos mais complexos incorporados do tango, como trocadilhos, caminhadas, cruzados e giros. Em meados dos anos 90, a nova forma de se dançar o bolero se espalhou para o restante do país e é praticada até hoje.

Mesmo com toda essa trajetória de transformações, sempre foi mantido seu caráter de dança de galanteio, suave, terna e romântica, com movimentos caracterizando uma eterna busca da conquista da mulher amada, que por sua vez, seduz o parceiro num jogo que pode durar 3 minutos ou mesmo uma vida inteira.

Não sabe quais músicas é possível de dançar o bolero? Te damos algumas dicas:

“Meu bem, meu mal” - Caetano Veloso

“La puerta” e “La barca” - versão de Luiz Miguel

"Con los anos que mi quedan” - Glória Estefan